O senador Alvaro Dias defendeu “dizer não à beligerância política, para rejeitar o ódio, para abraçar a construção de um futuro melhor para este país”, esta quarta-feira (10/11), no evento de filiação do ex-juiz Sergio Moro ao Podemos, em Brasília.

“Aqui estamos para dizer que o confronto da extrema-esquerda com a extrema-direita dá vitória ao caos. Porque eles são os representantes do caos. São os filhos da ignorância. Eles são os arautos da intolerância. Eles são os mestres da filosofia do fracasso. Eles seguem a crença à ignorância. A tragédia produzida é a miséria, a fome, o desemprego”, afirmou o líder do Podemos, em discurso de abertura no evento.

Para o senador, os “barões da corrupção” querem mudar a história dos fatos sobre o trabalho de Sergio Moro. “Os barões da corrupção querem sequestrar a narrativa e afirmam que Sergio Moro julgou movido por interesses políticos. Não, que não venham dizer que Moro julgou por interesses políticos. Moro julgou pelo Brasil, pela democracia, julgou pelo país. Julgou e condenou aqueles que roubaram, não só os recursos públicos, mas as esperanças de uma vida melhor para o povo brasileiro”, disse.

Alvaro Dias ressaltou ainda que, com Moro, deverá haver uma institucionalização do modelo da Operação Lava Jato, no que diz respeito ao combate à corrupção. “Que venha agora Moro, não para responder às narrativas dos arautos da corrupção. Vem para combater a corrupção. Vem porque tem coragem, vem por seu idealismo de continuar sua luta no combate à corrupção. Vem para institucionalizar a operação Lava-Jato como política permanente de combate à corrupção”, afirmou.

O líder do Podemos lembrou que o país vive a consequência de “vícios históricos de uma república que mais parece um império”. “Os governantes que chegaram aprofundaram o divórcio de mais de 120 anos de existência. A República nasceu estabelecendo o distanciamento das autoridades com a sociedade, obrigando Antônio Conselheiro a transformar-se no Viajeiro do Nordeste, convocando a população para a Rebelião de Canudos, onde brasileiros foram dizimados pelo despotismo”, pontuou o parlamentar.

Alvaro Dias destacou a importância de se refundar a República. “A refundação da República passa sobretudo pela substituição de um sistema corrupto, que estabelece uma relação promíscua entre os Poderes. E que tem sim, como consequência, as diferenças sociais gritantes, contrastando com as potencialidades econômicas extraordinárias deste país”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, deixe seu nome aqui