Tag Archives: PIB

Inflação volta a subir e crescimento do PIB empaca mais uma vez

dlma-inflacao-pib-chargeA atividade econômica brasileira ficou praticamente estável em agosto. Foi o que mostrou o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) do Banco Central, divulgado nesta quarta-feira (16). De acordo com o indicador, a economia do país registrou leve alta de 0,08% em agosto em comparação com julho (quando teve queda de 0,34%). No acumulado do ano, a prévia do PIB registrou alta de 2,76%, na comparação sem ajuste sazonal, a mais utilizada pelo mercado. O índice é elaborado mensalmente pelo BC e é considerado uma prévia do PIB – que é calculado pelo IBGE. O indicador do BC é visto como uma antecipação do resultado do PIB, e serve de base para investidores e empresas adotarem medidas de curto prazo. Outro índice divulgado hoje, desta vez pela Fundação Getúlio Vargas, mostra um avanço da inflação. O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) da FGV registrou variação de 0,45% na segunda semana deste mês, alta de 0,07 ponto percentual sobre o resultado anterior. A alta foi influenciada principalmente pelo grupo alimentação, que passou de 0,41% para 0,63%. Segundo o levantamento, cinco das oito classes de despesa que fazem parte do índice subiram. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Pibinho em queda livre: Focus reduz estimativas pela décima semana seguida

Mantega e seu pibinhoA estimativa de crescimento da economia brasileira em 2013 foi reduzida pela 10ª semana consecutiva por economistas e especialistas de instituições financeiras. É o que revela o Boletim Focus do Banco Central, divulgado na manhã desta segunda-feira. De acordo com a publicação, houve uma redução de 2,31% para 2,28% na previsão de expansão do PIB neste ano. Para o ano que vem, a perspectiva do avanço da economia do País também sofreu forte redução, passando de 2,80% para 2,60%. A estimativa das instituições financeiras se afasta mais e mais das previsões feitas recentemente pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que afirmou na semana passada que o PIB brasileiro cresceria entre 2,5% e 3% em 2013 (no começo do ano, o ministro afirmava que haveria crescimento de 4% do Produto Interno Bruto). Os economistas de mais de 100 instituições consultadas pelo Boletim Focus ainda mantiveram a perspectiva de que a Selic (taxa de juros) encerrará este ano a 9,25%, e que o dólar deverá fechar 2013 a R$ 2,24. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Urgência de reforma administrativa no governo

O senador Alvaro Dias cobrou hoje uma reforma administrativa para reduzir os gastos do governo: “A máquina pública é hoje um paquiderme, com 39 ministérios. No último ano,as despesas correntes cresceram o dobro do PIB”, disse o senador, em contraponto às declarações da presidente Dilma Roussef de que não há descontrole da inflação e das despesas do governo. Para a presidente, o país tem hoje, “estruturalmente”, melhores condições na economia do que no passado. (Postado por Cristiane Salles-assessoria de imprensa)

PIB, Banco Central

pibinho2013Pela nona semana seguida os analistas e economistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central baixaram suas previsões para a expansão do Produto Interno Bruto neste ano de 2013. De acordo com o boletim Focus do BC, a expectativa para crescimento do PIB caiu de 2,34% na semana passada para 2,31% nesta segunda-feira. Para 2014, a projeção foi mantida em 2,80 por cento. O Focus mostrou também que os economistas mantiveram a expectativa para o dólar no final deste ano em 2,20 reais, e elevaram sua projeção para a Selic, prevendo que o Banco Central seguirá com o aperto monetário tanto neste ano como no próximo. Para este ano, a taxa básica de juros é taxada a 9,25%, e para 2014, a 9,5%. A expectativa para a inflação nos próximos 12 meses também foi ligeiramente elevada para 5,68%, ante 5,67% da semana passada. Leia mais aqui. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Índice do Banco Central revela maior queda na prévia do PIB desde 2008

charge dilma12Dois dias depois de decidir aumentar em meio ponto percentual a taxa básica de juros (Selic), o Banco Central divulgou o seu Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), que mostra que a economia do Brasil encolheu 1,4% em maio em comparação com abril. De acordo com o histórico do índice, esta é a maior queda registrada desde dezembro de 2008, quando o indicador recuou 4,31%. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central é considerado uma prévia do PIB, e o resultado ficou acima da perspectiva do mercado, que esperava uma queda mensal de 0,9%. O resultado anulou a alta vista em abril, quando houve crescimento de 0,96%, número revisado ante avanço de 0,84% divulgado anteriormente. Na comparação com maio de 2012, o IBC-Br avançou 2,61% e acumula em 12 meses alta de 1,89%, ainda segundo o BC. Veja mais aqui. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

PIB continua murchando e perspectivas para inflação seguem em alta

charge-dimaO crescimento da economia brasileira em 2013 pode ser ainda menor do que o aguardado. Quem afirma são os analistas do mercado financeiro consultados semanalmente pelo Banco Central. De acordo com o Boletim Focus do BC, os economistas ainda reduziram a projeção para a expansão da economia neste ano a 2,46%, ante 2,49% na pesquisa anterior. As projeções do mercado para o Produto interno Bruto estavam em 3% no 13 de maio, e já caíram 0,54% em 40 dias. Também as projeções para a inflação subiram, na visão dos analistas. A inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), deve chegar pelo menos a 5,86%, este ano. A estimativa divulgada na semana passada era 5,83%. Essa foi a segunda alta seguida na projeção. A pesquisa do BC também traz estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que foi ajustada de 4,92% para 4,98%, este ano, e mantida em 5%, no próximo ano. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Expectativas do mercado: PIB em queda livre, inflação em alta, mais juros

íbinhoO Boletim semanal Focus do Banco Central, que reúne projeções do mercado, como vem acontecendo há algumas semanas, rebaixou novamente sua projeção para o crescimento do PIB em 2013. A expectativa do mercado dada pelo boletim para o crescimento do PIB caiu agora de 2,53% para 2,49%. %. A projeção para os juros básicos da economia, a Taxa Selic, subiu de 8,75% para 9,00%, em 2013 e 2014. A expectativa do Boletim Focus para a taxa de câmbio em 2013 manteve-se em 2,10 (real/dólar) e a projeção para 2014 manteve-se em 2,15 (real/dólar). A expectativa para a inflação, medida pelo IPCA, subiu de 5,80%, em 2013, para 5,83%. A projeção para 2014 manteve-se em 5,80%. A projeção para a balança comercial em 2013 caiu novamente, de 7,35 bilhões de dólares para 6,55 bilhões de dólares. Para 2014, a expectativa também caiu no boletim dessa semana, passando de 10,00 bilhões de dólares para 9,00 bilhões de dólares. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Investimentos do governo não avançam, e obras ficam no papel

chargeRelatório do Tesouro Nacional divulgado nesta segunda-feira pelo jornal “O Globo” revela que os investimentos do governo federal não avançaram nos primeiros quatro meses do ano, na contramão do discurso da equipe econômica, que prega o crescimento sustentável do país. O relatório mostra que, de janeiro a abril deste ano, o governo gastou R$ 22,9 bilhões, ou 17,6% do total de R$ 130,4 bilhões autorizados no Orçamento da União. Proporcionalmente, o valor pago foi menor que o despendido no mesmo período do ano passado: R$ 21,1 bilhões ou 22,58% de um total autorizado de R$ 93,4 bilhões. De acordo com o jornal, em proporção do PIB, os investimentos do governo federal ficaram estagnados nos quatro primeiros meses. Eles se mantiveram em 1,51% sobre o total de riquezas produzidas no país no período — mesmo índice dos quatro primeiros meses de 2012. Nos três órgãos responsáveis pelas obras de infraestrutura, que permitem à economia crescer sem pressionar os preços de bens e serviços, os investimentos também não deslancham, de acordo com os dados oficiais. Leia mais em O Globo. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.