Críticas ao “quem dá mais” e ao mercado aberto de parlamentares

feira livreUm balanço parcial, na tarde desta quinta-feira, revela que 44 deputados e um senador já trocaram de partido nos últimos dias, seguindo principalmente para os recém-criados Pros e Solidariedade. Os números finais do troca-troca partidário, entretanto, devem mudar até o próximo sábado, data fatal imposta pela legislação para filiações de eventuais candidatos às próximas eleições. No Plenário, o senador Alvaro Dias condenou o leilão que está sendo realizado pelas agremiações, chamando-o de “picaretagem explícita”. Para o senador, o Congresso, ao não aprovar uma ampla reforma política, é conivente com a transformação da atividade política em mero comércio eleitoral. “Lideranças estão sendo leiloadas, na base do ´quem paga mais´. Isso é um escândalo, e revela que os parlamentares não priorizam a construção de partidos verdadeiros. Há um mercado aberto, uma feira, onde o tempo de TV e a parcela do fundo partidário são as moedas principais. As pessoas de bem não aceitam isso, pois é uma afronta à inteligência dos brasileiros. O Congresso é responsável por essa situação, por não aprovar uma reforma política que ofereça um modelo adequado às exigências do povo brasileiro”, afirmou o senador Alvaro Dias. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.