Monthly Archives: setembro 2013

União para destruir sistema corrupto do balcão de negocios

ad-psdb“O governo do PT rasgou todas as suas bandeiras e desrespeitou todos os seus compromissos históricos. Como resultado, instalou no Brasil um sistema de balcão de negócios, de aparelhamento do Estado, que esgota a capacidade financeira da Nação e retira recursos de setores fundamentais como saúde, educação e segurança pública. Esse sistema tem que ser destruído e esta deve ser a missão do PSDB”. A afirmação foi feita pelo senador Alvaro Dias, ao discursar no Encontro Regional Sul do PSDB, que está sendo realizado em Curitiba, na manhã deste sábado (28). O senador foi bastante aplaudido pelos tucanos de diversos estados brasileiros que participam do evento, principalmente por pregar a união do partido para superar divergências e oferecer à população a esperança de um novo tempo de dignidade e recuperação das instituições públicas. “Este governo gasta fortunas para vender falsas ilusões ao povo deste País, e este sistema corrupto, de cooptação de partidos e políticos desmoralizados para obter apoio, é a matriz de uma administração corrupta e incompetente. Estamos aqui no Paraná  apostando na crença e na esperança de que haveremos de reedificar  instituições públicas, esgarçadas e desmoralizadas. Haveremos de reedifica-las sobre os escombros das nossas esperanças e dos nossos sonhos. Estaremos nesta caminhada administrando nossas divergências Existem, mas elas são raquíticas diante da robustez da nossa missão e da responsabilidade maior deste partido que é construir um projeto de Nação em respeito ao povo brasileiro”, afirmou o senador. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa/ Foto: Orlando Brito)

O aumento do analfabetismo e o financiamento da educação no PNE

analfabetismoPela primeira vez em quinze anos, o índice de analfabetismo cresceu no Brasil. É o que mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada em 2012 e divulgada hoje pelo IBGE. Em um ano, o índice dos que não sabem ler nem escrever passou para 8,7%, ou seja, o país ganhou 300.000 analfabetos, totalizando 13,2 milhões de brasileiros. O Nordeste foi o principal responsável por elevar a taxa nacional – é onde moram 53,8% de todos os analfabetos do país. O senador Alvaro Dias(PSDB/PR), relator do Plano Nacional de Educação(PNE), já anunciou a realização de audiência pública com representantes do governo e da sociedade civil para discutir, principalmente, o financiamento da educação. “Hoje os municípios estão sobrecarregados com a redução dos recursos do FPM. E muitas cidades dependem desses recursos para o investimento em educação, que deve ser uma prioridade”, disse(Postado por Cristiane Salles-assessoria de imprensa)

Em destaque, a defesa intransigente do Paraná e de sua população

bandeira-paranaNa entrevista que concedeu à Rádio Banda B, de Curitiba, o senador Alvaro Dias enumerou alguns dos diversos projetos que apresentou e defesas nas quais se engajou no Congresso nos últimos anos em favor dos paranaenses. O senador ressaltou que também no cumprimento da missão que assumiu de combater o assalto aos cofres públicos, atua em favor do Paraná e para que deixem de ser desviados recursos para áreas vitais como saúde, segurança pública, educação e obras de infraestrutura. “O Paraná está sempre em primeiro lugar no cumprimento do meu mandato. Eu represento os interesses dos paranaenses inicialmente combatendo o roubo ao dinheiro do povo. Também defendo ardorosamente o meu Estado na busca por mais recursos para a administração atual. Em dezembro de 2010, por exemplo, empreendi um entendimento com a liderança do governo e consegui a aprovação de um projeto que evitou que o Paraná tivesse que desembolsar R$ 1,7 bilhão anual a partir de 2011”, explicou o senador. Na entrevista, Alvaro Dias relatou algumas de suas ações que beneficiaram o Estado, como o seu projeto que impôs mudanças na lei do salário-educação, que levou ao aumento de 120% dos recursos a serem repassados às escolas do ensino fundamental. Outra ação lembrada foi a luta pela aprovação de empréstimos ao Estado que ajudaram na recuperação da sua capacidade financeira, a criação do Tribunal Regional Federal, a relatoria do projeto da Estrada do Colono, a batalha para que o Paraná não perdesse recursos do ICMS, entre outros. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Compromisso de combate à corrupção e luta contra roubo do dinheiro do povo

entrevista-radio-banda-bEleições nacionais e regionais, criação de novos partidos e filiações de última hora, reforma política, o combate ao modelo do balcão de negócios para garantir a governabilidade, perspectivas para a disputa de 2014, defesa do Paraná no Congresso. Esses foram alguns dos temas abordados pelo senador Alvaro Dias na entrevista que concedeu na manhã desta sexta-feira à repórter Denise Melo, da rádio Banda B de Curitiba. Na entrevista, o senador confirmou sua intenção de concorrer ao Senado, e de se manter firme na luta contra a corrupção e no combate ao sistema de barganha que domina a relação entre Executivo e Legislativo. “Estamos vendo a criação de novos partidos como se criassem uma ninhada de gatos. Agora dois novos partidos surgem, e nem podem ser chamados de partidos, porque são siglas para registro de candidaturas, sem qualquer identidade programática. Por esse e outros motivos que a população exige uma mudança na cultura política. O povo, nas ruas, pediu não uma reforma política, mas uma reforma dos políticos. O povo acordou e foi para as ruas, mas os políticos ainda não acordaram, por isso afirmo que continuarei cumprindo minha missão principal de combater este sistema, de combater o roubo, o assalto ao dinheiro público, a corrupção, porque poucos têm a coragem de fazê-lo. Como poucos têm coragem de combater a corrupção, assumo esta responsabilidade com maior ênfase”, afirmou o senador. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Ouça a entrevista:

Os principais fatos da semana no Congresso

A semana política começou com uma iniciativa que tem o objetivo de acabar com as dúvidas em relação a recursos de condenados no Supremo Tribunal Federal: o projeto apresentado pelo senador Alvaro Dias(PSDB/PR) que extingue os embargos infringentes. Outros assuntos que dominaram os debates no Congresso foram o pacto federativo; a PEC da música; a regulamentação da profissão de vaqueiro e a criação de dois novos partidos políticos. A semana também teve cobrança de mais rigor e fiscalização nas ONGs e elogios à iniciativa do ex-presidente do Conselho Regional de Medicina do Paraná, que renunciou por não concordar com as regras do programa Mais Médicos. O debate que ganha força, a partir de agora, é o Plano Nacional de Educação(PNE) que terá Alvaro Dias como relator(Postado por Cristiane Salles-assessoria de imprensa)

Voto aberto sim, mas não como manobra para ajudar os mensaleiros

voto-aberto-eu-apoioOs senadores participaram, na tarde desta quinta-feira, no Plenário, da terceira sessão de discussão da PEC 43/2013, que determina o voto aberto em todas as deliberações do Poder Legislativo no Brasil. A proposição precisa passar por cinco sessões de discussão antes de ser votada em primeiro turno. O senador Alvaro Dias, autor da PEC que acaba com o voto secreto nas cassações de mandato, disse que esta proposta continua sob a suspeição, por ter sido colocada em votação apressadamente uma semana após a votação em que foi absolvido o deputado Natan Donadon. “Apesar de apoiar o fim do voto secreto, acredito que esta proposição foi colocada em votação como uma espécie de antídoto para a PEC que acabava com o voto aberto em cassações. Houve, a meu ver, uma deliberada manobra de protelação em benefício de mensaleiros. Especialmente dois partidos manobraram para proteger mensaleiros e só por isso a matéria foi aprovada na Câmara e remetida ao Senado”, explicou o senador. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Luz, câmera e ação na América Latina

[fsg_gallery id=”21″]

O senador Alvaro Dias(PSDB/PR) foi entrevistado hoje pelo cineasta Dado Galvão para o documentário  “Conexão Cuba-Honduras’, que será lançado no início de 2014. Alvaro Dias falou sobre o asilo, na embaixada brasileira em La Paz,e a vinda para o Brasil do senador boliviano Roger Pinto Molina. Na série de documentários, Dado Galvão quer mostrar as restrições impostas por países latino-americanos em relação à liberdade de expressão no século 21. A primeira parte de “Conexão Cuba-Honduras” mostrou a trajetória de luta e resistência da blogueira cubana Yoani Sánchez (Postado por Cristiane Salles-assessoria de imprensa/Fotos: Luiz Wolff)

“O Brasil estragou tudo?”, questiona The Economist

The EconomistA mais nova edição da revista britânica The Economist traz em sua capa a imagem de uma aeronave desgovernada nos céus. A montagem faz comparação com imagem divulgada pela revista há quatro anos, quando um foguete que apontava para o alto e falava das potencialidades do Brasil. A edição que chega às bancas neste fim de semana tem na capa uma imagem do Cristo Redentor fazendo piruetas no céu do Rio de Janeiro com a pergunta: “Has Brazil blown it?”. A questão pode ser traduzida como “O Brasil estragou tudo?” ou “O Brasil se perdeu?”. Na edição desta semana, a revista publica uma reportagem especial de 14 páginas sobre o Brasil, e afirma que na década de 2000, o Brasil decolou e, mesmo com a crise econômica mundial, cresceu 7,5% em 2010. “No entanto, tem parado recentemente. Desde 2011, o Brasil conseguiu apenas um crescimento anual de 2%. Seus cidadãos estão descontentes – em julho, eles foram às ruas para protestar contra o alto custo de vida, serviços públicos deficientes e a corrupção dos políticos”, diz a revista. A publicação também questiona: “Pode Dilma Rousseff, a presidente do Brasil, reiniciar os motores?”. The Economist também lança o questionamento sobre o potencial que a realização de eventos, como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, oferecem para ajudar na recuperação do Brasil. “Será que simplesmente trarão mais dívida”, pergunta a revista. O conteúdo da revista ainda não está disponível na íntegra na internet. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.