Daily Archives: 17 de setembro de 2013

Roger Pinto Molina visita Senado

[fsg_gallery id=”16″]

O senador boliviano Roger Pinto Molina, que no mês passado conseguiu deixar La Paz e vir para o Brasil, visitou hoje o gabinete do senador Alvaro Dias(PSDB/PR). Ele veio agradecer o empenho de Alvaro Dias que, em vários pronunciamentos na tribuna, denunciou as condições de saúde e o desconforto do senador boliviano na embaixada brasileira. O senador do PSDB também protocolou, em maio desse ano, uma petição na Comissão Interamericana de Direitos Humanos para que a Organização dos Estados Americanos (OEA) oferecesse garantias ao senador boliviano. “O apoio do senador Alvaro Dias foi fundamental”, disse Molina . “Eu sentia que o esquecimento dos fatos seria muito ruim, por isso fui à OEA”, relatou Alvaro Dias.O diplomata Eduardo Saboia, que trouxe o senador Roger Pinto Molina para o Brasil, também veio ao Congresso e se reuniu com senadores do PSDB(Postado por Cristiane Salles-assessoria de imprensa)

Demandas de atletas e adoção de medidas moralizadoras para gestão esportiva

ad-atletas-redApós ouvir as reivindicações de diversos atletas e ex-atletas que estiveram presentes no Plenário, como Raí, Hortência, Guga, Ida, Mauro Silva, entre outros o senador Alvaro Dias apoiou a aprovação da MP 620, que estabelece medidas moralizadoras para as entidades desportivas. O senador destacou na Tribuna que foi a partir da CPI do Futebol, que ele presidiu no Senado, que se iniciou no País um esforço para aprimorar a legislação vigente no Brasil para o setor do desporto. Alvaro Dias salientou que a CPI se constituiu em um marco divisor em relação à administração do futebol. “Desde a CPI, houve um esforço no sentido de se democratizar a eleição para a direção de instituições esportivas, de entidades e clubes no País. A partir dela também tivemos a Lei de Responsabilidade do Desporto Nacional e o Estatuto do Torcedor, que impuseram maior transparência, a exigência de auditoria externa, a publicação de balanços, com o País podendo ter conhecimento do endividamento de todos os clubes nacionais. Apoiamos essa medida, enfim, porque confronta irregularidades, a corrupção em clubes e associações esportivas, e com estamos tentando semear administrações mais transparentes e corretas para o desporto no País”, afirmou o senador. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Cancelamento de viagem presidencial aos EUA é marketing oficial

O senador Alvaro Dias(PSDB/PR) criticou hoje o cancelamento da viagem de Estado que a presidente Dilma Rousseff faria aos Estados Unidos, no mês de outubro. “Trata-se de marketing oficial que não traz benefícios ao País. Essa política de avestruz que esconde a cabeça na areia para não ver ao redor não faz bem a governo algum. Se houve uma espionagem indevida, a hora é de questionamento. Se não houve, é hora de fortalecer laços econômicos com os Estados Unidos”, disse. Em nota, a presidente Dilma alegou que “na ausência de tempestiva apuração do ocorrido, com as correspondentes explicações e o compromisso de cessar as atividades de interceptação, não estão dadas as condições para a realização da visita na data anteriormente acordada”. (Postado por Cristiane Salles-assessoria de imprensa)

PSDB votará pelo fim da multa do FGTS

O Congresso Nacional deve votar hoje o veto presidencial ao fim da multa de 10% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para empresas que demitirem empregados sem justa causa. A presidente Dilma Rousseff pediu que o veto ao fim da multa não seja derrubado, mas para o senador Alvaro Dias(PSDB/PR) o governo está querendo fazer cortesia, prejudicando empresários e trabalhadores “O PSDB votará pelo fim da multa, que ela está com prazo de validade vencido. O governo está querendo transformar o que é provisório em definitivo, penalizando os empresários, que já arcam com tantos encargos, e os trabalhadores com os recursos do FGTS”, disse.(Postado por Cristiane Salles-assessoria de imprensa)

Amanhã será dia decisivo para o julgamento do mensalão

O senador Alvaro Dias(PSDB/PR) voltou a defender hoje que o ministro do STF, Celso de Mello, rejeite os embargos infringentes no julgamento do mensalão: “O ideal seria que o julgamento se encerrasse agora, mas, independentemente do que o ministro decidir, acredito que o STF manterá a pena dos condenados, como mostra a tradição da Corte”, disse. Segundo Alvaro Dias, o ministro Celso de Mello é um legalista que vai “decidir de acordo com a sua consciência”. Amanhã(18/09) Celso de Mello vai apresentar o voto de desempate quanto ao cabimento dos embargos infringentes. Ministros do STF dão dão como certo que o colega votará pela validade dos recursos. Caso essa tendência seja confirmada, pelo menos 11 réus que receberam no mínimo quatro votos pela absolvição serão julgados novamente pelo STF, o que levará a Ação Penal 470 a se estender até 2014. (Postado por Cristiane Salles-assessoria de imprensa) 

Críticas à tentativa de Dilma de transformar o Congresso em seu almoxarifado

palacio-congressoO senador Alvaro Dias reiterou críticas, durante a discussão de projetos na reunião da Comissão de Assuntos Econômicos, sobre a orientação do governo Dilma de tratar o Congresso como seu “almoxarifado”. O senador rechaçou as manobras governistas que buscam não só priorizar matérias apenas de interesse do Executivo, mas sufocar a aprovação de proposições originárias do próprio Legislativo. “O governo nutre um verdadeiro desapreço pelo Legislativo. E o mais surpreendente é que a grande maioria dos 39 ministros são oriundos do Congresso, mas mesmo assim eles reproduzem a orientação da presidente de tratar o Legislativo como seu almoxarifado, de apequenar o parlamento. Esse desapreço do governo Dilma pelo Congresso significa um desapreço pela própria democracia”, afirmou Alvaro Dias. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Novo procurador pode pedir prisão imediata de mensaleiros

mensaleiros cadeiaO novo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que assumiu seu cargo oficialmente nesta terça-feira, anunciou sua presença na sessão do Supremo Tribunal Federal desta quarta-feira,que pode encerrar o julgamento do mensalão. Na sessão, o ministro Celso de Mello dará o seu voto sobre o acolhimento dos embargos infringentes, desempatando a votação que está em 5 a 5. Segundo o Correio Braziliense, mesmo se os embargos forem acolhidos, Janot pode pedir a prisão dos 14 condenados no processo que não têm direito aos embargos infringentes. Durante a campanha pelo comando da PGR, o novo procurador disse que “a prisão que decorre do mensalão é consequência lógica da condenação. Julgados os recursos, o pedido de prisão será imediato”. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.