Monthly Archives: fevereiro 2012

Governo privilegia alguns, e deixa reformas de lado

Na votação da Medida Provisória 544, que estabelece normas especiais para compras e contratações de produtos e serviços do sistema de defesa, o senador Alvaro Dias afirmou que mais uma vez o governo expõe sua incapacidade de gestão e competência gerencial. Segundo Alvaro Dias, o Palácio do Planalto, em vez de liderar a aprovação de uma ampla e profunda reforma tributária, faz movimentos pontuais, contemplando setores separadamente. “O governo estabelece privilégio a setores que possuem organização e influência no parlamento, assim como os que utilizam as consultorias do ministro Fernando Pimentel. Já os que não contam com tal organização acabam ficando em segundo plano, e terão que continuar batendo às portas do governo atrás de benefícios e isenções tributárias”, disse o senador, reiterando que uma reforma de profundidade, que modifique o atual sistema federativo desequilibrado e injusto do país, apenas será realizada se houver vontade da presidente da República. (Postado por Eduardo Mota)

Garantia de benefícios aos portadores de hepatite B e C

Os senadores da Comissão de Assuntos Sociais aprovaram o projeto de lei nº 11/2011, de autoria do Líder do PSDB, Alvaro Dias, que altera a legislação para garantir aos portadores das formas crônicas da hepatite B ou da hepatite C os mesmos benefícios concedidos aos portadores de AIDS. Por entender que a hepatite virótica crônica demanda gastos elevados em medicamentos e com o próprio tratamento, o projeto de Alvaro Dias (que ainda será votado na CCJ) procura garantir que os portadores dessa doença possam ter acesso a benefícios especiais. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Brasiguaios pedem ajuda

Veja o vídeo com o apelo dos brasiguaios que vieram essa semana ao Senado e pediram a ajuda do Líder do PSDB, senador Alvaro Dias, para que o Congresso e o Governo Brasileiro intervenham para resolver o conflito na região (postado por Cristiane Salles- assessoria de imprensa)

Disputa no BB pode acabar em demissões

A escalada da crise envolvendo o Banco do Brasil e a Previ, fundo de pensão dos funcionários do banco, fez com que a cúpula do governo começasse a discutir uma saída drástica para o caso: a demissão dos executivos envolvidos na disputa. Segundo o cálculo no Palácio do Planalto, a solução poderia evitar novas acusações de cada lado e o surgimento de informações comprometedoras para a imagem das instituições.

Caso Celso Daniel dez anos depois

 Bruno Daniel, irmão de Celso Daniel (PT), prefeito de Santo André que foi morto em 2002, afirmou anteontem que outros partidos, além do PT, se beneficiaram do suposto esquema de desvios de recursos na administração municipal. O Ministério Público vê no esquema a motivação da encomenda da morte de Daniel. “Ele cometeu erros ao aceitar arrecadar recursos de forma ilegal e desviar essa arrecadação para financiamento de campanhas, que não eram só do PT”, afirmou no programa “Roda Viva”, da TV Cultura. Bruno, no entanto, não citou quem seriam os aliados.

A súplica dos governadores

reuniao-gov-01

Líderes do governo e da oposição participaram hoje de reunião com o presidente do Senado, José Sarney, para discutir com os governadores dificuldades enfrentadas pelos estados. Segundo o Líder do PSDB, senador Alvaro Dias, os governadores vieram buscar apoio e fizeram reivindicações como a renegociação da dívida dos estados e a votação imediata do projeto que distribui royalties entre as unidades federativas. “Os governadores alegam que os muitos encargos são repassados aos estados sem a contrapartida de recursos. Os municípios também reclamam com súplicas da mesma natureza. Os governadores vieram buscar um apoio político porque essas decisões mais imediatas fogem um pouco ao Senado federal”, disse. (Postado por Cristiane Salles – assessoria de imprensa/ Foto: Cadu Gomes)

Disputa no Banco do Brasil chega às páginas policiais

“O aparelhamento político do Banco do Brasil agora chegou às páginas policiais”. Quem afirmou foi o senador Alvaro Dias, ao relatar na sessão plenária acontecimentos que expõem uma intensa disputa dentro do Banco do Brasil pela presidência da instituição e de seus cargos de diretoria. Para o Líder do PSDB, os fatos denunciados diariamente pela imprensa nos últimos dias é um exemplo nítido da forma como o governo age para ocupar as estruturas de poder. “A oposição tem o dever de denunciar eventuais falcatruas existentes no país, por isso venho mais uma vez lastimar a existência de um modelo promíscuo que loteia cargos públicos em troca de apoio político. Desta vez é o Banco do Brasil que está no centro de uma disputa em que se digladiam grupos e facções do PT”, afirmou. Leia na íntegra no site da Liderança do PSDB no Senado. E outros detalhes com texto e video na Agência Senado (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Guerra contra o atraso

O Líder do PSDB, senador Alvaro Dias, participou de reunião na presidência do Senado, nesta terça-feira (28/02), com empresários e trabalhadores que querem acelerar a tramitação do projeto de resolução que elimina o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) nas operações interestaduais com produtos importados. Uma disputa conhecida como “guerra dos portos”. O projeto de resolução foi criado em 2010 no Senado, e tramita na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde aguarda parecer do relator. O Líder Alvaro Dias disse que o momento é histórico: “Estamos aqui unidos contra a guerra fiscal, porque a nossa guerra é outra: contra o atraso. Esse é um ato importante. É um ato histórico. O presidente Sarney tem o apoio da oposição nessa tentativa de rediscutir um novo pacto federativo que envolva todas as unidades da federação e todos os setores da economia, e certamente o Brasil irá crescer muito mais e o nosso povo será mais próspero”. (Postado por Cristiane Salles – assessoria de imprensa/ Foto: Cadu Gomes)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.